A proposta do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) prevê um gasto de milhões de euros na aquisição de comboios da CP. Nesse sentido, e em entrevista exclusiva à TVI, o ministro das Finanças esclareceu que esta verba já estava prevista antes de Pedro Nuno Santos se ter queixado publicamente de algumas decisões do Ministério das Finanças. 

Isso é algo que já estava a ser ponderado há bastante tempo", assegurou. 

João Leão fez ainda questão de deixar claro que mantém uma "excelente relação" com o ministro das Infraestruturas e que este não é uma "pedra no sapato".

O Governo tem de fazer escolhas (...) eu tento fazer com que todos os ministros estejam contentes dentro do possível, mas é sempre todos os anos um desafio", disse. 

Recorde-se que presidente da CP, Nuno Freitas, se demitiu três meses antes do final do mandato. Na altura, Pedro Nuno Santos disse compreender a saída, alegadamente devido a problemas burocráticos que dificultaram a gestão da empresa.

Já sobre a TAP, João Leão disse que está prevista uma injeção de 2,2 mil milhões na companhia aérea e mostrou-se confiante de que o Plano de Reestruturação vai ser aprovado em Bruxelas.

O Estado entre 2021 e 2022 vai injetar na TAP 2 mil milhões de euros. Nós contamos e o ministro das Infraestruturas também está confiante que o que tem sido apresentado no âmbito do Plano de Reestruturação será suficiente para que no final do ano esse plano seja aprovado."

Questionado se estava em condições de garantir aos portugueses de que a TAP não vai custar mais do que o previsto, o ministro respondeu: "há pouco risco desse valor vir a ser aumentado"

Cláudia Évora