Portugal foi em março e em termos médios anuais o sexto país com o maior aumento de preços nas telecomunicações da União Europeia, onde a tendência foi precisamente a da redução, segundo um documento publicado no site da Anacom.

Em março de 2017, em termos médios anuais, Portugal foi o sexto país da UE (União Europeia) com o aumento de preços mais elevado. Em média, na UE os preços das telecomunicações diminuíram 0,2%", lê-se num documento publicado no site da Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom), com base em informações quer do Instituto Nacional de Estatística quer do Eurostat.

O relatório avança ainda que "desde março de 2011 que os preços das telecomunicações crescem mais em Portugal do que na UE" e pormenoriza que em março passado os preços das telecomunicações aumentaram 0,11% face ao mês anterior (-0,4% em março de 2016).

O documento conclui que o aumento "resultou da alteração de dois tarifários de internet móvel através de 'PC/tablet' por parte de um prestador", sem contudo adiantar qual.

Em comparação com março de 2016, o aumento dos preços das telecomunicações foi de 2,34%, o 9º mais elevado da economia portuguesa.

Em termos médios nos últimos 12 meses, a variação foi de 2,22%, 1,40 pontos percentuais acima da inflação (0,82%), tendo sido o 8.º aumento mais elevado entre os 43 produtos/serviços considerados, revela ainda o estudo.

Desde janeiro de 2014 que os preços das telecomunicações crescem a taxas médias anuais superiores à variação do IPC.

De acordo com o Eurostat, diz o relatório, em março de 2017, o aumento dos preços verificado em Portugal foi 2,4 pontos percentuais superior à média da UE em termos médios anuais, sendo Portugal o sexto país com o aumento de preços mais elevado.

Os países onde os preços cresceram mais do que em Portugal foram a Bélgica, a Finlândia, a Eslovénia, a Letónia e a Espanha.

Em relação ao mês homólogo, a variação dos preços das telecomunicações em Portugal foi a quarta maior entre os países da UE.