O ano de 2018 registou um número recorde de greves. Dados do Ministério do Trabalho revelam que existiram, no ano passado, 144 paralisações no setor privado, em Portugal.

Segundo o mesmo relatório, as greves tiveram mais impacto na vida dos manifestantes, uma vez que as reivindicações atendidas subiram de cerca de 1% para quase 8%.

O setor mais afetado foi a saúde, seguido dos transportes.

Para quem fez greve em 2018, as questões salariais continuaram a ser a grande motivação.

Apesar do número recorde, o número de pessoas em greve foi menor relativamente a outros anos, nomeadamente ao período em que Portugal esteve sob assistência financeira.

Recorde-se que, já neste ano de 2019, o nosso país enfrentou algumas greves mediáticas, destacando-se as paralisações dos motoristas de matérias perigosas e a dos profissionais das forças de segurança. 

/ AG