A consultora PwC vai implementar um novo modelo de horário de trabalho para os 1.600 colaboradores da empresa que trabalham em Portugal, Angola e Cabo Verde.

Entre os dias 1 de maio e 30 de setembro, todos os trabalhadores vão ter direito a escolher oito sextas-feiras nas quais podem tirar a tarde, ficando livres para os afazeres pessoais.

A decisão foi comunicada de forma interna no dia 9 de abril (simbolicamente uma sexta-feira), e é tomada com o intuito de manter os colaboradores agradados. A empresa quer manter e captar os melhores talentos, e entende que esta é uma forma de o conseguir.

A PwC quer que os funcionários se sintam bem na empresa", afirmou à TVI24 Pedro Palha, colaborador que é responsável pela área de marketing e business development.

O objetivo passa por dar aos trabalhadores um maior equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, naquele que será um modelo inovador em Portugal, e que, afirma a empresa, será para ficar depois de 30 de setembro.

Na prática, é a primeira aproximação que uma empresa sediada no nosso país tem à semana dos quatro dias, que já vai começando a ser colocada em prática em vários países, um deles Espanha, que está a fazer uma aposta séria nesse cenário.

Pedro Palha lembra que, mesmo antes da pandemia de covid-19, que impulsionou o regime de teletrabalho, a PwC já dava aos colaboradores a hipótese de trabalharem a partir de casa um ou dois dias por semana, naquilo que já era uma visão com o intuito de se atingir um maior equilíbrio e flexibilidade entre o tempo passado com questões profissionais e questões pessoais.

Além disso, entende a empresa que a nova vaga de trabalhadores valoriza outro tipo de iniciativas, como aquelas em que existe uma maior promoção do tempo fora do escritório.

António Guimarães