Os EUA registaram menos 58 mil pedidos de subsídios de desemprego na semana passada, o décimo primeiro declínio consecutivo, mas 1,5 milhões de trabalhadores em ‘lay-off’ tentaram recorrer a este apoio, segundo o Departamento do Trabalho norte-americano (DOL).

De acordo com os últimos dados revelados, a semana passada marcou o décimo primeiro declínio no número de pedidos de subsídio de desemprego nos Estados Unidos, porém, a descida foi inferior à das últimas semanas, fixando-se em menos 58 mil.

No período em causa, perto de 1,5 milhões de trabalhadores em ‘lay-off’ recorreram a este apoio, um número historicamente alto.

O mercado de trabalho inicia lentamente a recuperação, tendo, em maio, os patrões contratados 2,5 milhões de pessoas.

Por sua vez, a taxa de desemprego nos EUA passou de 14,7% para 13,3%.

Assim, em maio, quase 21 milhões de pessoas estavam desempregadas.

No entanto, os economistas citados pela agência Associated Press (AP) estimam que este número ascenda já a 32,5 milhões, considerando as pessoas que foram erradamente classificadas pelo Governo norte-americano como empregadas e as que, recentemente, perderam o seu posto de trabalho.

O relatório do DOL revelou ainda que mais 760 pessoas desempregadas solicitaram apoio ao abrigo de um novo programa destinado aos trabalhadores por conta própria ou àqueles que recorrem, pela primeira vez, a este tipo de ajudas.

/ Publicada por ALM