A Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo (FESAHT) acusou esta terça-feira a CP de faltar a uma reunião no Ministério do Trabalho, não contribuindo assim para resolver a “difícil situação” dos trabalhadores dos bares dos comboios.

Em causa, segundo a FESAHT, estão duas reuniões agendadas para esta terça-feira a pedido dos sindicatos, no Ministério do Trabalho, em Lisboa, para analisar a situação dos trabalhadores do serviço de refeições dos comboios Alfa Pendular e Intercidades pertencentes à Risto Rail, e dos trabalhadores dos serviços de refeições e alojamento dos comboios internacionais pertencentes à Servirail.

A CP, convocada para o efeito, abandonou a reunião da manhã mal ela começou, fazendo apenas uma declaração, sem nenhum motivo, e recusou participar na reunião da parte de tarde”, conta a FESAHT em comunicado.

 

Com este comportamento inaceitável, a CP não contribuiu em nada para a resolução dos problemas dos 138 trabalhadores afetados, 18 dos quais dos comboios internacionais já praticamente despedidos e outros em vias de o serem”, acrescenta a federação.

De acordo com a FESAHT, o Ministério das Infraestruturas também foi convocado, mas “não esteve presente em nenhuma reunião nem deu qualquer justificação”.

Os trabalhadores dos bares do Alfa Pendular e Intercidades reclamam a retoma da circulação de todos os comboios, a retoma de todos os serviços e a ocupação dos postos de trabalho.

A federação sindical diz que os trabalhadores dos serviços e refeições e alojamento dos comboios internacionais são “vítimas do jogo de empurra entre as duas empresas” e reclamam “a clarificação da sua situação laboral”.

No comunicado, a FESAHT refere que “a CP cancelou o contrato de prestação e serviços dos comboios internacionais com efeitos a 31 de dezembro de 2020, a Servirail transferiu os trabalhadores para a CP com efeitos a 01 de janeiro de 2020 e a CP recusou os trabalhadores”.

Estes trabalhadores vão apresentar-se ao serviço no seu posto e local de trabalho no próximo dia 07”, afirma a federação.

Os serviços de bares nos comboios foram suspensos nos comboios da CP devido à pandemia e ainda não estão a funcionar a 100%.

A CP denunciou o contrato que tinha com a Servirail para a prestação de serviços de refeições e alojamento nos comboios internacionais, que estão suspensos desde março, confirmou à agência Lusa a empresa, em 01 de outubro.

/ HCL