A francesa Christine Ourmières-Widener é a gestora escolhida pelo Governo para liderar a TAP, noticia o jornal Eco.

Com experiência no setor da aviação, é especialista em processos de reestruturação.

Christine Ourmières-Widener é especialista em engenharia aeronáutica e foi, até maio de 2019 CEO, da companhia aérea britânica Flybe que, entretanto, em março do ano passado abriu falência por causa do covid-19. Também foi ela que liderou também a venda da marca, o que permitiu salvar os 2500 postos de trabalho da empresa que entretanto mudou de nome e vai reiniciar operações.

Antes disso, esteve na direção da CityJet e esteve vário anos na Air France onde chegou a vice-presidente da KLM/.

Atualmente, de acordo com a sua página de LInkedin é diretora não executiva da Datalex em Dublin.

Irá agora assumir o cargo de presidente executivo que está a ser ocupado transitoriamente por Ramiro Sequeira.

O nome de Christine Ourmières-Widener surge numa altura em que os acionistas da companhia aérea preparam-se para eleger órgãos sociais. 

Ainda não se sabe quem vai integrar o novo conselho de administração, mas, segundo o jornal Eco, Miguel Frasquilho deverá ser reconduzido como chairman, assim como Ramiro Sequeira, que é agora presidente executivo interino e que permanecerá como administrador executivo no próximo mandato para o período 2021 a 2024.

O Governo tem de divulgar os nomes que vão ocupar os próximos órgãos sociais da TAP até ao dia 10, duas semanas antes da assembleia geral marcada para o dia 24 de junho.

O novo conselho terá pela primeira vez um elemento nomeado pelo Governo mas escolhido pelos trabalhadores. 

Os trabalhadores da TAP votam esta quinta-feira para eleger um representante no Conselho de Administração, depois de o Governo ter avançado com a iniciativa, que conta com seis candidatos.

Assim, de acordo com a lista, a que a Lusa teve acesso, disputam as eleições Cristina Maria Pereira Cardoso, João Calisto, João Pedro da Conceição Duarte, Paulo Manso, Ricardo Paes Mamede e Rita Cristina Oliveira da Costa Silva. 

Os resultados serão conhecidos na sexta-feira e "o candidato mais votado será indicado pela República Portuguesa como administrador não executivo da TAP SGPS e proposto para eleição na assembleia-geral da TAP SGPS que designará os órgãos sociais para o próximo mandato que se inicia em 2021".

Maria João Caetano