Os transportes ferroviários de passageiros (-46%) e mercadorias (-6%) recuaram, em 2020, na União Europeia (UE), face ao ano anterior, com Portugal a registar, respetivamente, a sétima (41,7%) e oitava (10%) maiores quebras, segundo o Eurostat.

Na UE, em resultado de medidas de prevenção no âmbito do combate à pandemia da covid-19 e de um número reduzido de comboios em funcionamento desde março de 2020, o transporte ferroviário recuou significativamente.

O transporte de mercadorias diminuiu 6% na UE, tendo sido afetado em muito menor escala do que o transporte de passageiros, que diminuiu quase para metade entre 2019 e 2020 (-46%), atingindo um total de 223 mil milhões de passageiros por quilómetro.

Portugal com sétima maior quebra no transporte de passageiros

Portugal registou a sétima maior quebra entre os Estados-membros (-41,7%) no transporte ferroviário de passageiros e a oitava (-10%) no de carga.

Todos os Estados-membros apresentaram quebras no transporte ferroviário de passageiros, com destaque para a Irlanda (-64%) e Itália (-57%) e apenas sete países tiveram recuos menores do que 40% em 2020, face ao ano anterior.

O transporte de mercadorias foi menos afetado pela covid-19, com cinco Estados-membros a apresentar crescimento face a 2019, com a Itália a registar o maior aumento (30%), seguida da Bulgária (19%), contrastando com a Letónia (-42%), Estónia (-26%) e Luxemburgo (-18%), que apresentaram os maiores recuos.

/ HCL