O membro da comissão executiva do Banco Central Europeu (BCE), Joerg Asmussen, disse esta segunda-feira que dar mais tempo a países como Espanha e Itália para equilibrarem as suas contas públicas aumentará o risco de turbulência nos mercados obrigacionistas de dívida pública nacional.

«Sem reformas estruturais adicionais  e um progresso imediato na consolidação orçamental, poderemos observar facilmente o renovar das tensões nos mercados obrigacionistas de dívida pública nacional», disse o responsável na Alemanha, citado pela Bloomberg.

«Fazer uma pausa e relaxar não é uma opção realista», adiantou ainda.

 

«Em tempos de pouco crescimento os pedidos de mais tempo e menos reformas aumentam a pressão», disse Asmussen, que garante que o debate na União Europeia que conduziu ao relaxamento «não é uma grande ajuda».

Recorde-se que os países em dificuldades ganharam mais tempo, em maio, quando Bruxelas aliviou as metas para os défices. Espanha e a França conquistaram mais dois anos para pôr as suas contas na ordem. Portugal beneficiou de mais um ano no seu programa de ajustamento, o que significa que para colocar o défice abaixo dos 3% do PIB até 2015.
Redação / CPS