Última atualização às 11h17

A emissão de dívida a 10 anos, apoiada num sindicato bancário, está a decorrer esta manhã, e marca o regresso de Portugal aos mercados.

De acordo com a Reuters e a Bloomberg, a procura por dívida a 10 anos já supera os quatro mil milhões de euros, sendo que o guidance da operação está agora entre 400 e 405 pontos base acima da taxa de referência.

Ora, tendo em conta as cotações atuais de mercado, o IGCP está a ponderar uma taxa de juro entre 5,547 e 5,597%.

O custo poderá ainda vir a descer mas para isso é preciso esperar pelas restantes ofertas dos investidores. Por esta altura, no mercado secundário, os juros da dívida soberana a 10 anos negoceiam nos 5,514%.

Desde o pedido de ajuda externa que Portugal não realizava uma emissão a 10 anos. A última foi em janeiro de 2011 (com uma taxa média ponderada de 6,716%).

Ao todo, o Tesouro português espera colocar três mil milhões de euros na emissão, que está a ser dirigida pelo Caixa BI, Citigroup, Crédit Agricole, Goldman Sachs, HSBC e Société Générale.
Carla Pinto Silva