O governo de Boris Johnson está perto de fechar uma lista de 10 países considerados seguros para os turistas britânicos viajarem sem que seja necessário ficarem em isolamento durante duas semanas no regresso - como acontece atualmente - mas o recente surto de Covid-19 em Lisboa poderá deixar Portugal de fora.

Segundo o jornal Telegraph, a incerteza quanto ao nosso país prende-se com “o pico de Covid-19 registado nos últimos dias em Lisboa”. Ao mesmo tempo, outro fator a ter em conta - e que pode pesar na hora da decisão - tem a ver com “a ligação ao Brasil” onde o número de infetados também tem aumentado “em espiral”.

De acordo com o mesmo jornal, numa primeira fase, a lista que deverá ser conhecida no fim de semana e que vai anunciar quem está na “ponte aérea”, deverá excluir outros países como os Estados Unidos, a Turquia e a Croácia.

Por outro lado, e perante os atuais níveis de infeção, deverão estar autorizados países como Espanha, França, Grécia, Itália, Alemanha e Austrália.

Uma fonte do governo disse recentemente ao diário The Times que “qualquer decisão em aceitar corredores de viagens com outros países será baseada em critérios rigorosos de saúde pública” e que Portugal estava a ser alvo de um “debate intenso”, uma vez que também o Algarve – um dos destinos de eleição dos britânicos - tem registado um aumento e infeções. 

Turistas britânicos são dos que mais procuram Portugal

O Governo português tem sido ativo na pressão junto das autoridades britânicas para abrir um “corredor aéreo” para Portugal, país que é o destino escolhido por mais de 2,5 milhões de britânicos todos os anos, que representaram quase 20% das dormidas de estrangeiros em 2019.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, disse à BBC no início deste mês estar em negociações com Londres e manifestou esperança de alcançar um acordo até ao final do mês. No sábado, o embaixador de Portugal no Reino Unido, Manuel Lobo Antunes, voltou a manifestar interesse num entendimento. 

Nós pensamos que a situação está sob controlo e ficaríamos felizes em receber, como antes, o maior número possível de britânicos”, afirmou também à BBC. 

Desde 8 de junho que todas as pessoas que chegam do estrangeiro ao Reino Unido, incluindo britânicos, são obrigadas a permanecer em isolamento durante 14 dias para reduzir a probabilidade de contágio da Covid-19.

As transgressões serão puníveis com multas de mil libras (1.100 euros), estando isentas apenas as pessoas vindas da Irlanda, motoristas de transportes de mercadorias, médicos que estejam envolvidos no combate à pandemia e trabalhadores agrícolas sazonais. 

Lara Ferin