O lucro do Grupo Media Capital chegou aos 21,6 milhões no ano passado, 9% acima do resultado líquido de 2017, informou hoje a dona da TVI.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o Grupo Media Capital afirma que manteve a liderança e rentabilidade, fortalecendo a sua posição no competitivo setor dos media nacionais.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) alcançou os 40,2 milhões de euros, semelhante ao registado no ano anterior.

Segundo os dados comunicados pela Media Capital à CMVM, numa base comparável, os rendimentos de publicidade subiram 3% face a 2017.

É de assinalar ainda o desempenho ao nível da geração de caixa, com uma melhoria do ‘cash flow’ operacional de 29,5 milhões em 2017 para 35,0 milhões em 2018, bem como da dívida líquida, que reduziu 9,6 milhões face ao observado no final de 2017, não obstante dividendos distribuídos de 18,6 milhões”, acrescenta.

A dívida líquida da Media Capital atingiu, no final do ano, 85,7 milhões de euros. Os resultados financeiros melhoraram 34%, “em resultado do menor volume médio de dívida líquida, da redução do respetivo custo e de variações cambiais”.

Por segmentos, a Televisão registou um EBITDA de 30,3 milhões, com a TVI a registar em dezembro de 2018 o 149.º mês consecutivo de liderança de audiências em televisão, registando uma média de quota de 20,0% no total do dia e de 23,6% no horário nobre.

A diferença face ao segundo canal mais visto foi de 3,5pp [pontos percentuais] no primeiro caso e de 3,3pp no último”, acrescenta a nota.

A liderança da TVI em audiências manteve-se quando analisado por grupos de canais (TVI, TVI24, TVI Ficção e TVI Reality), com 22,9% no total do dia e 26,0% em horário nobre, mais 2,7pp e 2,4pp, respetivamente, do que o segundo grupo de canais com maior audiência, “não obstante a TVI dispor de um menor número de canais”.

O segmento de Rádio voltou a melhorar o EBITDA, desta feita em 14%, chegando aos 7,4 milhões de euros, com uma margem 38,1%.

Em 2018, o conjunto das rádios do Grupo Média Capital registou um share médio de 37,1%, “o mais elevado de sempre, sendo igualmente o sétimo ano consecutivo de subida”.

Durante o ano passado, a Rádio Comercial obteve o maior número de ouvintes de sempre (mais de 1,5 milhões de pessoas, na terceira vaga de audiências), enquanto a M80 cimentou a sua posição de terceira rádio mais ouvida em Portugal.

Na área Digital, o ano ficou marcado por uma “forte melhoria” dos resultados a nível de audiências e receitas. Em comparação com período homólogo, o número de visitas, páginas vistas e vídeos visionados subiu 19%, 29% e 51%, respetivamente, contribuindo para os 19% de crescimento da publicidade.

Os outros rendimentos operacionais, compostos essencialmente por rendimentos de produção audiovisual, serviços multimédia e rendimentos de cedência de sinal, cresceram 1%, “beneficiando de mais rendimentos associados a serviços multimédia”, refere a Media Capital.