A Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap), da UGT, anunciou esta terça-feira que vai desconvocar a greve marcada para 12 de novembro e que pediu ao Governo uma reunião para esclarecer o futuro do aumento do salário mínimo nacional.

Estamos cansados de anúncios e queremos que os problemas sejam verdadeiramente resolvidos. Não fazemos greve porque sim, fazemos quando os motivos da greve podem ser respondidos", afirmou o secretário-geral, José Abraão, numa conferência de imprensa, em Lisboa, após uma reunião do Secretariado Nacional da federação para analisar a situação política face ao chumbo parlamentar da Proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2022.

A Fesap disse ter pedido uma reunião ao primeiro-ministro e à ministra da Administração Pública para saber “com o que é que os trabalhadores da administração pública podem contar" quanto ao aumento do salário mínimo nacional, face a um cenário de duodécimos em resultado da não aprovação do orçamento.

/ JGR