Portugal apresentou no terceiro trimestre a segunda menor taxa de ofertas de emprego (0,7%), face à de 1,7% na zona euro e da União Europeia (UE), segundo o Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, entre julho e setembro, a taxa de ofertas de emprego na zona euro e na UE (1,7%) recuou face aos 2,2% homólogos e à taxa de 1,9% registada no primeiro trimestre em ambas as áreas.

As mais baixas taxas de oferta de emprego foram registadas na Grécia (0,5%), seguindo-se Portugal e a Polónia (07%) e as mais altas na República Checa (5,3%) e na Bélgica (3,3%).

Face ao período homólogo, o indicador recuou em 24 Estados-membros, manteve-se estável na Lituânia e cresceu na Bulgária e em França (0,1 pontos em cada).

As descidas mais acentuadas observaram-se na Alemanha (-1,0 pontos), na República Checa (-0,9 pontos) e na Letónia (-0,8 pontos).

Em Portugal, a taxa de ofertas de emprego recuou, no terceiro trimestre, 0,3 pontos face ao período homólogo (1,0%), tendo-se mantido estável na variação em cadeia.

/ CE