“A opção que agora foi encontrada pelas autoridades não é a solução deste Conselho de Administração, que não foi ouvido nesta decisão, nem incluído nas negociações que a concretizaram”, lê-se na carta do Banif a que a Lusa teve acesso.








150 milhões de euros





resolução era a única alternativa viável,




Redação / DC