O ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, sublinhou esta quinta-feira a importância de um «baixa substancial de IRC» para garantir a competitividade fiscal do país. Mas não quis comentar a redução de 11,5 pontos percentuais, para 20 por cento, confirmados pela TVI.

Na aassinatura do acordo que oficializa um centro de nearshore no Fundão, num investimento de quase 7 milhões de euros que irá criar 120 postos de trabalho diretos na região, até 2015, o ministro da Economia afirmou que é preciso «reduzir os custos de contexto no país», para atrair investimento estrangeiro. Além da descida do IRC, o Governo insiste na redução da burocracia. «O Estado não pode ser um empecilho à competitividade da economia». ---