O Governo decidiu duplicar o apoio à reestruturação e reconversão da vinha permitindo que sejam contempladas, em 2017, candidaturas até cerca de 80 milhões de euros. O vinho é muito importante para as exportações portuguesas e há desde grandes a pequenos produtores a quem estes apoios interessam.

Luís Capoulas Santos disse à Lusa que a nova verba irá contemplar praticamente todas as mais de 2.800 candidaturas apresentadas, abrangendo cerca de 5.100 hectares de vinhas.

Iremos assim dar um contributo muito importante para que a reestruturação da vinha em Portugal acelere, para que os excelentes vinhos portugueses, que todos os dias ganham prémios em mercados internacionais, se afirmem cada vez mais, o que é uma boa notícia para os viticultores portugueses”.

Portugal é, de resto, o maior consumidor de vinho a nível mundial. Os portugueses bebem em média 54 litros de vinho por ano, segundo os dados da Organização Internacional da Vinha e do Vinho. No ranking de consumo de vinho, seguem-se os franceses e os italianos

A medida VITIS, Regime de Apoio à Reestruturação e Reconversão da Vinha foi, “provavelmente, o programa europeu que melhor sucesso teve em Portugal”, congratulou-se ainda o ministro mostrando “orgulho” por ter estado ligado ao seu lançamento, há 15 ou 16 anos.

“É um programa que fez muito por aquilo que é o setor da vinha em Portugal, porque permite, de uma forma muito simples e com apoios financeiros muito generosos, reestruturar as antigas vinhas por novas, bem localizadas, com as castas mais adequadas, enfim, com todos os requisitos técnicos que a nova vitivinicultura exige”.