Bruxelas avisou, nesta terça-feira, a Volkswagen que tem de compensar todos os consumidores europeus e não apenas os alemães afetados pelo escândalo das emissões que ficou conhecido como "Dieselgate".

Hoje, a Comissão Europeia, juntamente com as autoridades nacionais de defesa do consumidor, pediram à VW para compensar todos os consumidores europeus, incluindo aqueles que vivem fora da Alemanha, por os ter enganado quanto às normas das emissões dos seus veículos. Todos os consumidores europeus têm de ser tratados com justiça e da mesma forma", defendeu o comissário europeu para a Justiça e Consumo, Didier Reynders.

 

A declaração de hoje conclui, uma vez mais, que "as práticas comerciais da Volkswagen no que respeita à comercialização de automóveis a diesel equipados com sistemas ilegais de manipulação de gases de escape violaram as leis de consumo na UE".

As autoridades europeias pediram à empresa que encontrasse soluções adequadas para os consumidores europeus que procuram ser compensados em várias ações judiciais em toda a União Europeia, de modo a evitar anos de novos litígios. Até agora, a VW concordou apenas em compensar os consumidores da UE que residiam na Alemanha no momento da compra do carro. Em resposta, a VW disse à Comissão e às autoridades do CPC [proteção do consumidor] que considerava que os pagamentos voluntários a consumidores europeus que residiam fora da Alemanha não se justificavam, uma vez que os carros afetados foram agora alterados para atender aos requisitos legais. A posição da empresa não mudou, apesar das recentes decisões dos tribunais nacionais e da UE", indicou, ainda, o comissário, segundo a posição divulgada por Bruxelas.

O caso remonta a 2015, quando se descobriu que o fabricante automóvel instalou um software em veículos a diesel, cerca de 9,5 milhões em todo o mundo, que manipulava os dados das emissões poluentes para superar os testes ambientais.

Na Alemanha, foram afetados 460.000 clientes, que, de acordo com o gabinete de proteção do consumidor, terão sido indemnizados entre 1.350 e 6.257 euros, segundo o tipo de veículo.

Veja também:

 

Catarina Machado