A companhia aérea Aigle Azur vai cancelar todos os voos a partir de sábado, devido a problemas financeiros, segundo noticia hoje a agência AP.

Num comunicado no seu ‘site’, que, não está a funcionar (apenas mostra o anúncio), a companhia aérea referiu que “a sua situação financeira e as consequentes dificuldades operacionais não permitem continuar a assegurar voos” depois do dia de hoje.

Entre os voos suspensos estão ligações a Portugal, Mali, Brasil e Ucrânia, sendo que a companhia aérea não pode garantir a devolução do dinheiro dos bilhetes marcados para datas posteriores a sábado.

A transportadora francesa voa para os aeroportos de Faro, Funchal e Porto, em Portugal.

O secretário de Estado dos Transportes francês, Jean-Baptiste Djebbari referiu, numa entrevista à rádio RTL, que os cancelamentos significam que vários milhares de passageiros irão ficar presos fora de França durante o regresso das férias de verão.

Djebari disse ainda que o governo francês está a prestar assistência à companhia, que entrou com um pedido de insolvência esta semana. Paris está a estudar soluções para o problema em conjunto com a Air France.

O governante salientou que o executivo que integra congelou algumas dívidas da Aigle Azur ao Estado, para manter a sua atividade o máximo de tempo possível e permitir a repatriação de passageiros, bem como garantir a segurança dos últimos voos.

O governo francês está também em contacto com “outras companhias aéreas e operadores” para tentar que cubram, no futuro, as rotas que eram exploradas pela Aigle Azur.

Está ainda em cima da mesa a possibilidade de que algum operador compre uma parte do negócio da Aigle Azur e leve a cabo uma reestruturação.

A Aigle Azur emprega 1.150 pessoas e opera voos entre vários destinos, incluindo entre França e Argélia, mas também conta com rotas para o Brasil, China, Rússia e outros países.

O tribunal, que nomeou um administrador de insolvência para a empresa, deu aos potenciais interessados até às 10:00 do dia 09 de setembro para a apresentação de propostas, segundo a agência Efe.

O jornal francês Le Figaro aponta para três ofertas parciais, da Air France, Air Caraibes e da Vueling.

Um dos principais ativos da Aigle Azur são os 'slots' (direitos de descolagem/aterragem) que detém no aeroporto de Orly, em Paris.

O maior acionista da empresa é a chinesa HNA, que também já foi detentora de uma participação na TAP, com uma posição de 49%.

 

Bilhetes da Aigle Azur de agências ou pagos com cartão de crédito podem ser reembolsados 

Os passageiros afetados pela insolvência da Aigle Azur e que tenham adquirido o bilhete através de uma agência de viagens, de uma companhia aérea parceira ou via cartão de crédito “podem solicitar o seu reembolso”, indicou a AirHelp.

Em comunicado, a empresa, especializada em pedidos de indemnização às companhias aéreas, disse que quem for afetado pelos cancelamentos pode solicitar o reembolso em algumas circunstâncias.

Segundo Karin Herbsthofer, especialista em direitos dos passageiros aéreos da AirHelp, citada na mesma nota, se os clientes tiverem reservado o voo “através de uma agência de viagens ou de uma companhia aérea parceira”, estas “podem ser responsáveis se os voos estiverem cobertos por planos de seguro de viagem, ao passo que, no caso de férias organizadas, a cobertura deve ser garantida”.

Por outro lado, existe a possibilidade de uma compensação “para passageiros que reservaram diretamente com a Aigle Azur e pagaram com cartão de crédito. O pagamento pode ser anulado antes de ser creditado na conta da companhia aérea. Mesmo que os montantes já tenham sido debitados, tratando-se de um caso de falência é possível conseguir o reembolso”, destacou a responsável.

De acordo com Herbsthofer, “o passageiro deve enviar um documento para a respetiva empresa/banco emissora do cartão de crédito, que certifica o pedido malsucedido da companhia aérea”, lê-se na mesma nota.

Infelizmente, os passageiros da Aigle Azur que sofreram uma perturbação de voo elegível para compensação já não poderão solicitar qualquer indemnização, a menos que o seu voo tenha sido operado por uma companhia aérea diferente”, refere a empresa.

Karin Herbsthofer explicou que “a partir de 7 de setembro, independentemente do aeroporto de partida, os voos da Aigle Azur são cancelados, o que significa que os passageiros que tenham um voo marcado após esta sexta-feira são obrigados a comprar outro bilhete. Os passageiros afetados podem assegurar o bilhete de regresso a casa se tiverem adquirido o bilhete como parte de um pacote de viagem. Além disso, outras companhias aéreas poderão oferecer tarifas especiais para o retorno”.

A Aigle Azur vai cancelar todos os voos a partir de sábado, devido a problemas financeiros, segundo noticia hoje a agência AP.

Num comunicado no seu ‘site’, que, segundo verificou a Lusa, não está a funcionar (apenas mostra o anúncio), a companhia aérea referiu que “a sua situação financeira e as consequentes dificuldades operacionais não permitem continuar a assegurar voos” depois do dia de hoje.

Entre os voos suspensos estão ligações a Portugal, Mali, Brasil e Ucrânia, sendo que a companhia aérea não pode garantir a devolução do dinheiro dos bilhetes marcados para datas posteriores a sábado.