Pelo menos quatro astronautas norte-americanos vão votar nas eleições presidenciais de 3 de novembro, a bordo da Estação Espacial Internacional (EEI). 

A astronauta e engenheira mecânica Kate Rubins faz parte de um grupo de quatro astronautas norte-americanos que vai chegar à EEI nos dias que antecedem as eleições. Para Rubins, o facto de estar a 400 quilómetros de distância do planeta não é desculpa para não participar no processo democrático.

Eu acho que é muito importante que toda a gente vote”, afirmou Rubins à Associated Press. “Se o podes fazer a partir do espaço, então acredito que as pessoas também o possam fazer em terra.”

Juntam-se a Rubins outros três astronautas americanos. Mike Hopkins, Victor Glover e Shannon Waker vão fazer parte do segundo lançamento da Crew Dragon da SpaceX e devem chegar à EEI no final do mês de outubro.

Todos nós estamos a planear votar no espaço”, revelou Shannon Walker, uma veterana que já votou em órbita em 2010. “A NASA trabalha muito bem com diferentes organizações eleitorais, uma vez que todos nós votamos em diferentes condados.”

Mas afinal, como é que se vota no espaço?

Para o cidadãos norte-americanos, o processo é muito semelhante ao aplicado a membros do exército durante destacamentos no estrangeiro. Antes de partir, o astronauta preenche um formulário que permite ao seu titular de votar fora do país.

A partir do momento em que esse formulário é aceite, o cartório que supervisiona as eleições nos condados de origem dos astronautas, enviam os boletins de voto para a NASA em formato PDF. Uma vez no espaço, a agência espacial envia o documento para a EEI, onde o astronauta vota no seu candidato e transfere o boletim de volta para a NASA.

Esse documento é posteriormente remetido para o condado de origem do eleitor, que regista o voto.

O processo não é novo. Desde 1997 que os astronautas registados no estado do Texas ganharam o direito a votar no espaço, quando os legisladores permitiram o envio da cédula eletrónica para fora do planeta, caso o astronauta se encontrasse em órbita durante o período de voto.