Mário Crespo diz que Marinho Pinto, bastonário da Ordem dos Advogados (OA), foi, na TVI, «tão sectário como Vitalino Canas ou Santos Silva e conseguiu o prodígio de ser mais grosseiro numa entrevista do que Sócrates na RTP e Pedro Silva Pereira na SIC». Num artigo de opinião publicado no «Jornal de Notícias», Mário Crespo disse ainda que Marinho Pinto «é um indefectível» e «está para o PS de Sócrates como estão Vitalino Canas, Augusto Santos Silva ou Pedro Silva Pereira».

Referindo-se sobretudo à entrevista do bastonário da OA, na última sexta-feira, no Jornal Nacional da TVI, Mário Crespo disse ainda que o comportamento público de Marinho Pinto «sugere que ele está a cumprir uma bizarra agenda pessoal com registo de irregularidades na defesa apaixonada de José Sócrates e do PS».

«A imagem que deu na TVI foi a de um homem vítima de si próprio, dos seus excessos, do seu voluntarismo, das suas inseguranças e das suas incompetências. Marinho Pinto tentou mostrar que era o carrasco do mensageiro que tão más notícias tem trazido a José Sócrates», escreveu Mário Crespo.

O jornalista acrescentou ainda que Marinho Pinto vociferou «uma caterva de insultos, como se tivesse a procuração bastante passada pelo Primeiro-ministro» para «desencorajar e punir» os jornalistas que avançam com notícias contra Sócrates.