Uma subida que pode acontecer ainda que a queda nos preços do petróleo aliviam os receios de inflação nos Estados Unidos.

Muitos analistas acreditam que as subidas graduais de 25 pontos base possam continuar até ao próximo. Um sólido crescimento económico e a ausência de pressão inflacionista podem levar o presidente da FED, Alan Greenspan, e o seu colégio a optar por se afastarem das baixas taxas de juro.

No entanto, os analistas mais moderados consideram que o actual mercado laboral pode levar a FED a suspender uma nova subida nas taxas de juro. Refira-se que no mês de Outubro, a economia norte-americana criou 303 mil postos de trabalho, enquanto que o mês de Novembro criou mais 112 mil empregos, abaixo do esperado.

Mas todos são unânimes no que diz respeito ao facto de que a FED vai continuar a observar atentamente a evolução da economia, assim como a inflação e o crescimento do mercado laboral. Concordam ainda que a FED poderá modificar um pouco o seu discurso. Consideram que o banco central vai continuar a subir as taxas de juro de forma «moderada», mas também dar um peso equivalente quer a um abrandamento económico e quer a um aumento na inflação.
Sandra Pedro