O primeiro-ministro, José Sócrates, disse esta sexta-feira, à saída do Parlamento, que a passagem de cobrança de portagens em três auto-estradas sem custos para o utilizador (SCUT) se devem ao facto das mesmas se situarem no litoral e de terem alternativas.

«As SCUT são feitas para fazer uma discriminação positiva do interior e, como tal, não pode ser aplicado em todas as zonas», sublinhou o líder do Governo.

Recorde-se que as negociações para a introdução de portagens na Costa de Prata, Grande Porto e Norte Litoral estão «bem encaminhadas», segundo revelou recentemente o ministro das Obras Públicas, Mário Lino.

Sócrates sublinhou ainda que a Via do Infante, no Algarve, irá continuar sem portagem.

«A nossa posição quanto às auto-estradas é conhecida: as que estão nas áreas do País com indicadores sociais e económicos abaixo da média nacional e que, ao mesmo tempo, não tem alternativa não terão portagem», justificou o primeiro-ministro.

No debate quinzenal na Assembleia da República, o primeiro-ministro anunciou ainda, para Março, o lançamento de concessões para a requalificação da Estrada Nacional 125 e para a construção de auto-estradas na zona de Leiria e entre Coimbra e Viseu.
Redação / RPV