George W. Bush anunciou esta terça-feira a criação no Pacífico de uma zona oceânica protegida com uma superfície equivalente à de Espanha, duas semanas antes do fim de uma Presidência muito contestada em termos de protecção ambiental, escreve a Lusa.

Segundo a Casa Branca, Bush colocou em protecção a zona oceânica maior do mundo ao declarar «monumento nacional marinho» três zonas: os recifes de coral das Ilhas Marianas, o Atol Rosa, no extremo da Samoa Americana, e um arquipélago isolado do Pacífico.

As três zonas totalizam uma área de 505 mil quilómetros quadrados. Esta classificação deve proteger as raridades naturais e anda de mãos dadas com as medidas de preservação dos recursos e as proibições ou restrições à pesca comercial e pesca recreativa.

Estas medidas «dão o toque final a um compromisso de oito anos de uma sólida política de protecção e conservação do meio ambiente. Sei que parece contrária às ideias que são divulgadas pela comunicação social», disse.

«Posso dizer, no momento de partir, que o nosso ar está mais limpo, a nossa água mais pura e as nossas terras mais protegidas», disse no último apelo do Presidente em defesa da sua política de meio ambiente.