Didier Deschamps, selecionador francês, em declarações na sala de imprensa da Puskàs Arena, após o empate contra Portugal, em jogo da terceira jornada do grupo F:

«Foi difícil para todos. Este jogo teve de tudo. Começou de uma maneira, mas demos a volta. Portugal marcou dois golos de penálti. Isso faz parte do jogo, poderíamos ter evitado. Apesar do golo inicial, os jogadores franceses disseram presente. Era preciso lutar. Conseguimos ter bons momentos, bons movimentos atacantes e criar boas oportunidades. O Benzema marcou um excelente golo.O espírito da equipa foi fundamental.

Balanço da fase de grupos? Deixo isso para vocês. Acabámos em primeiro lugar. Se calhar há equipas que deixaram melhor impressão do que nós. Agora começa uma outra competição. Ganhámos à Alemanha, depois num contexto muito particular, ganhámos um ponto à Hungria. Como o jogo da Alemanha até acabou mais cedo, ficámos a perceber depressa que o empate servia tanto para nós como para Portugal. Houve vários jogos diferentes dentro do mesmo jogo. Não fizemos tudo bem, mas o espírito da equipa é bom. Vamos ter mais um dia para recuperar, só jogámos segunda-feira. Estamos muito satisfeitos pela presença nos oitavos de final.  

O sentimento geral da equipa é de alegria. O futebol é mágico porque vais rapidamente de uma sensação para a outra. Foi um jogo de grande nível. Em relação às alterações na equipa, esta pareceu-me ser a melhor disposição tática. Poderá haver outras configurações táticas quando defrontarmos equipas que joguem de maneira diferente. 

O Tolisso jogou numa posição que não é a sua preferida, mas fez 60 minutos muito bons. Esteve muitos meses parado, não nos podemos esquecer. Foi importante no Mundial 2018, na altura substituiu o Matuidi na esquerda. Posso contar com todos os jogos tal como mostram as alterações que fiz hoje. 

Lesão de Digne? Sofreu uma lesão muscular. Vamos ver como vai evoluir, mas uma lesão daquelas nunca é bom sinal. O Hernández não se sentiu muito bem, além disso já tinha visto cartão amarelo e decidi tirá-lo. Infelizmente, o Digne lesionou-se logo a abrir. Vamos ver se o Hernández consegue recuperar.»



 

Sérgio Pires / enviado especial ao Euro 2020