Didier Deschamps considera que o empate de hoje frente à Hungria (1-1) não obrigará a França a ter uma abordagem diferente ao jogo contra Portugal, na próxima quarta-feira.

«O último jogo teria importância de qualquer maneira. Também não excluo que possa haver uma rotatividade entre os jogadores. Com essa sequência de jogos a cada quatro dias, a frescura física dos jogadores é um aspeto importante», afirmou o selecionador francês, salientando a importância que o golo marcado por Griezmann pode ter nas contas finais: «Tivemos o mérito de, estando a perder, chegar ao empate. Estou satisfeito com isso, mas não estou feliz. Esse golo nos dá mais um ponto e a oportunidade de ter as cartas na mão para o terceiro jogo.»

Deschamps referiu ainda que mantém a confiança em Benzema, apesar de o ponta-de-lança ainda não ter marcado neste Europeu. «É natural que esperemos que os avançados marquem, mas Benzema tem a minha confiança», disse, acrescentando a sua convicção de que os jogadores fizeram o melhor possível dentro do calor que se fazia sentir e perante o apoio entusiástico do público húngaro: «Não acho que tenha cada um jogado por si.»

Na conferência de imprensa na Arena Puskás, o técnico francês abordou ainda a saída de Dembélé, que havia sido lançado na segunda parte, por lesão: «Ele saiu lesionado. Sentiu que algo estava mal após fazer um cruzamento.»

Sérgio Pires / Enviado especial do Maisfutebol ao Euro 2020