Depois dos triunfos frente a Turquia e Suíça, a Itália derrotou o País de Gales e fez o pleno no Grupo A do Euro 2020: 9 pontos, 7 golos marcados e nenhum sofrido.

A squadra azzurra transpira saúde e confiança alimentadas por 11 vitórias consecutivas, outras tantas clean sheets e a vitória deste domingo só espantou pelos números tangenciais.

FILME E FICHA DO JOGO

O conjunto de Roberto Mancini foi muito superior a uma congénere galesa parca em ideias e em ambição e voltou a exibir-se a bom nível mesmo num jogo no qual se apresentou com oito alterações comparativamente com o jogo anterior.

Quando, aos 39 minutos, Pessina inaugurou o marcador num desvio de pé direito na sequência de um livre lateral batido por Verratti (excelente jogo do médio italiano), a Itália já tinha rondado a baliza de Ward por um par de vezes.

Esta Itália não é brilhante (alguém o tem sido verdadeiramente neste Euro?), mas é uma equipa de convicções, capacidade de trabalho, boa organização e doses razoáveis de talento. E isso tem-lhe permitido praticar algum do melhor futebol que se tem visto desde 11 de junho.

O País de Gales, já o escrevemos, foi curto em ambição. Chegou pela primeira vez à área italiana já para lá dos 20 minutos e criou perigo duas vezes em 90 minutos, ambas em lances de bola parada e talvez beneficiando de alguma sobranceria alheia, tão fácil estava o jogo. O conjunto do Reino Unido até tem boas unidades no ataque, mas teve um problema: não conseguiu encontrar forma de alimentar Bale, Ramsey e Daniel James.

A expulsão de Ampadu aos 55 minutos (vermelho direto após pisão em Bernardeschi) serve apenas de atenuante para uma estratégia já de si conservadora.

Se até aí, o Itália-País de Gales já estava a ser o duelo entre forças desequilibradas, daí para a frente a missão dos visitantes passou a ser evitar, no Olímpico de Roma, uma derrota pesada que pudesse inviabilizar o apuramento para os oitavos de final do Europeu.

O poste deu uma ajuda e Danny Ward, guarda-redes dos galeses, brilhou entre eles e acabou por ser uma das grandes figuras de uma tarde que, no fim de contas, acabou por ser positiva para os dois lados: para Itália, que, mesmo em modo poupança, estendeu uma sequência impressionante e para Gales, que também segue para os oitavos de final.

David Marques