De acordo com o «Financial Times», na semana que vem, a Comissão Europeia vai recomendar o lançamento de um procedimento formal contra Londres por indisciplina orçamental, ou seja, por não manter o seu défice abaixo dos 3% do Produto Interno Bruto (PIB).

O Reino Unido está à beira de incumprir, pelo quarto ano consecutivo, o limite estabelecido pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento em termos de défice. O défice britânico ascendeu a 3,2% do PIB em 2004, esperando-se que se situe nos 3,4% em 2005 e que suba para mais de 5% nos anos fiscais de 2006 e 2007.

Estas previsões da Comissão Europeia implicam que a mesma peça, formalmente, aos ministros das Finanças da UE uma declaração pública de que Londres utrapassou o limite fixado e inste os mesmos responsáveis a pedir ao seu colega britânico, Gordon Brown, que reduza esse défice para menos de 3% em 2006/2007.

Até agora, a Comissão Europeia ainda não tinha tomado qualquer atitude relativamente ao défice londrino por considerar que o mesmo era apenas temporal. Mas a degradação das contas do Reino Unido acabaram por tornar esta admoestação inevitável.

Apesar de não integrar a Zona Euro, o Reino Unido continua a estar sujeito às regras do PEC. A diferença é que, neste caso, a Comissão não pode penalizá-lo financeiramente, nem pode mesmo dar sugestões sobre como deve a Grã-bretanha gerir as suas finanças públicas.

O défice britânico está a preocupar particularmente a Comissão Europeia por continuar elevado apesar do forte crescimento económico que o Reino Unido tem registado.
Redação / PGM