Os dados do Ministério da Economia e Inovação (MEI) mostram assim que o saldo líquido das empresas contraiu naquele ano. Das empresas em actividade em 2003, 347.683 empresas, 60,2% respeitam a três sectores: comércio (108.078 empresas), Actividades Imobiliárias, Informáticas e Outros Serviços às Empresas (55.053 empresas) e Indústria Transformadora (46.181 empresas).

A criação líquida de empresas em 2004 representou 3,0% do stock existente em 2003. O sector da Electricidade, Gás e Água apresentou o maior impacte percentual (10,9%), logo seguido pelos sectores das Actividades Imobiliárias, Informáticas e Outros Serviços às Empresas (6,6%) e das Actividades Financeiras (4,2%). O sector dos Transportes e Comunicações apresentou uma criação líquida negativa (-3%) uma vez que o número de empresas dissolvidas foi superior ao de constituídas.

A nível da distribuição regional, verifica-se que o número de empresas constituídas apresentou um impacte percentual em relação ao stock de empresas em actividade na região superior ao da média nacional (6,9%) na Região Autónoma da Madeira (16,0%), na Região Autónoma dos Açores (9,0%) e no Algarve (8,7%).

A dissolução de empresas apresentou impactes percentuais superiores aos da média nacional (3,9%) nas regiões Norte (4,6%), Centro (4,4%) e Alentejo (4,1%).

A criação líquida de empresas apresentou os maiores impactes percentuais nas Regiões autónomas da Madeira (12,6%) e dos Açores (6,9%) e os menores nas regiões Norte (2,2%) e Centro (1,9%).
Redação / PGM