Segundo o Diário Económico, a instituição avançará com um prognóstico de 1,8% para a expansão do PIB português contra apenas 1,6% na zona euro, contrariando desta forma as previsões desfavoráveis entretanto avançadas pelo próprio Governo, Banco de Portugal e Comissão Europeia.

A economia mundial crescerá os mesmos 4,3%, mas os riscos relacionados com o petróleo deverão aumentar substancialmente no longo prazo.