O Banco Central Europeu (BCE) confirma esta quinta-feira uma significativa desaceleração da economia da Zona Euro devido ao agudizar das turbulências financeiras.

No Boletim Mensal de Janeiro, a instituição monetária alerta que a procura global e da Zona Euro vão registar uma queda por um período prolongado de tempo.

Numa entrevista a ser publicada sábado na revista «Le Fígaro», avançada pelo jornal «Le Monde», o presidente do banco, Jean-Claude Trichet, sublinha que as regras do Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC) devem ser respeitadas pelos países da Zona Euro, mas lembra que «é possível flexibilizar as margens de manobra face às situações excepcionais, como aquela que estamos a viver».

Aproveitar folgas do PEC mas nada mais que isso

«A nossa recomendação é por isso extremamente clara: respeitemos o Pacto e saibamos aproveitar todas as suas margens de manobra. Mas não mais do que isso», acrescenta.

Recorde-se que, de acordo com as mais recentes previsões de Bruxelas, divulgadas esta semana, a economia da Zona Euro deverá encolher 1,6% este ano. A crise e a necessidade de planos de medidas anti-crise, que têm estado a ser lançados por vários países, acabarão por fazer subir os défices orçamentais na União Europeia para 4,4 % este ano e 4,8% no ano que vem, após uma média de 2% em 2008.

Recorde-se também que, de acordo com as regras do PEC, os países da Zona Euro devem manter os respectivos défices públicos abaixo dos 3%, apesar de se admitirem excepções para fases de recessão ou de prolongado crescimento frágil.
Redação / PGM