Dirigentes da Polícia Judiciária (PJ), PSP e GNR reúnem-se terça-feira com o director-geral da Guardia Civil espanhola para intensificar a luta anti-terrorismo e desenvolver investigações relacionadas com a descoberta de um veículo com explosivos, na semana passada.

A reunião vai servir para intensificar as relações sobre a cooperação policial entre as polícias de ambos os países em matéria de luta contra o terrorismo, sobretudo depois da descoberta em Ayamonte (Huelva) de um carro da ETA carregado de explosivos, a 22 de Junho, refere um comunicado da Guardia Civil.

O director-geral da Polícia e da Guardia Civil, Joan Mesquida Ferrando vai encontrar-se com o director-geral da PSP, Orlando Romano, com o Comandante Geral da GNR, tenente-general Mourato Nunes e com o director nacional da PJ, Alípio Ribeiro.

A carrinha com matrícula portuguesa detectada quinta-feira em Ayamonte com 115 quilos de material explosivo, estava vinculada à ETA e os seus ocupantes fugiram depois de terem visto um controlo luso-espanhol da GNR e da Guardia Civil.

Esta descoberta em Ayamonte, Andaluzia, próximo da fronteira portuguesa com Vila Real de Santo António (Algarve), ocorre duas semanas depois de a ETA anunciar o fim do cessar-fogo declarado em Março de 2006 e que já tinha sido quebrado a 30 de Dezembro de 2006 com o atentado no Aeroporto de Madrid (Barajas), que causou dois mortos.