João Pedro Sousa, treinador do Famalicão, em declarações aos jornalistas após o triunfo sobre o V. Setúbal por 2-1:

«Foi um jogo duro contra uma equipa dura. Muito difícil para nós.

Foi uma vitória muito importante, sempre acreditámos na forma de chegar ao golo e à vitória.

A primeira parte foi difícil, não conseguimos controlar o jogo da melhor forma e dominar totalmente. Permitimos que o adversário tivesse algumas saídas. Numa bola parada em que fomos incompetentes – não há que esconder – permitimos que o adversário empatasse e desconcentrámo-nos nessa fase.

O intervalo foi bom para nós, corrigimos o que tínhamos de corrigir e dominámos por completo. O golo chegou muito tarde, mas foi uma vitória merecida.

[A vitória] Vai ao encontro aos nossos objetivos, que são manter uma posição europeia, mas faltam muitos minutos e há equipa muito competentes.»

[Sobre a exibição de Diogo Gonçalves]

«Não fez mais do que nos jogos anterior. Taticamente muito competente, tecnicamente muito acima da média, agressivo sem bola e com bola. Tem golo e está um excelente jogador. A evolução do Diogo é a de toda a equipa.»

[Seria uma desilusão o Famalicão perder o quinto lugar e uma posição de acesso à Europa nas duas jornadas que faltam?]

«Iríamos ficar tristes, é indiscutível, porque foi a nossa mensagem e discurso desde o início. Estávamos em primeiro e sempre dissemos que queríamos segurar o lugar, sabendo que seria difícil ou praticamente impossível continuar nos lugares cimeiros. Mas isso não nos impedia de trabalhar durante a semana. Com a ambição que temos, reconheço que seria triste perder esta posição. Mas também será impensável sentir um amargo de fracasso ou o que quer que seja. Os jogadores estão de parabéns e fizeram um trabalho fantástico. Vamos lutar com todas as forças para segurar este lugar, não prometendo que o vamos segurar.»

David Marques / Estádio do Bonfim, Setúbal