Tal como Pepe, também Sérgio Conceição foi questionado acerca do último jogo do Chelsea (derrota caseira contra o WBA) antes da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões. O técnico do FC Porto admitiu, sem rodeios, que preferia que a equipa de Tuchel não tivesse perdido.

«Sabem que o Thiago Silva foi expulso e isso condicionou o resto do jogo. Até este último jogo, o Chelsea tinha sido extremamente competente e forte, está invicto na Champions, e tem a segunda defesa menos batida tanta da prova como da Liga inglesa. Estas derrotas servem de alerta. Preferia que tivessem vencido o último jogo. Estas situações fazem tocar a sirene e meter toda a gente mais alerta para o perigo. Não gosto muito destas derrotas», referiu, em conferência de imprensa.

O treinador dos dragões revelou, inclusive, que não incluiu imagens do embate dos blues com os «baggies» no vídeo que mostrou aos jogadores. 

«O último nem entrou na análise ao adversário que mostrámos aos jogadores. Entraram outros jogos anteriores a esses como o da Liga dos Campeões contra o Atlético de Madrid. Esse não entrou até porque o perfil das equipas muda em inferioridade ou superioridade numérica. O Tuchel é um treinador que muda um bocadinho de um jogo para o outro mesmo quando ganha. Já o fazia quando estava em França. Podem jogar com dois homens na frente ou com dois jogadores atrás do avançado. Depende da dinâmica. Vi o último jogo, mas não mostrámos imagens aos jogadores», contou. 

Pelas constantes alterações que Tuchel promove e pela qualidade dos futebolistas do Chelsea, Conceição admitiu que foi «desafiante» preparar este encontro.

«O Chelsea tem vários pontos fortes e é desafiante tentar anular. O Werner é um jogador que ataca muito a profundidade, o Ziyech e o Havertz jogam muito por dentro e por fora tem o Alonso e o James que são bons de trás para a frente. Tem vários pontos fortes que são um desafio», confessou.


 

Vítor Maia / Olival, Vila Nova de Gaia