Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, em declarações na sala de imprensa do Dragão, após o triunfo por 1-0 contra o Vitória, em jogo da 28.ª jornada da Liga:

«Não estivemos muito bem na primeira parte. Sentimos algumas dificuldades. Como o Vitória baixou muito as suas linhas, tínhamos de ser inteligentes na ocupação dos espaços no meio-campo ofensivo e de ter paciência com a bola. Não a tivemos. Houve muita gente baixa e pouca gente dentro do bloco adversário. Chegámos aos corredores laterais, mas com pouca qualidade. Sentimos dificuldades em criar situações de perigo. Por outro lado, defensivamente estivemos sempre atentos, tirando um lance aos oito minutos que o Otávio cortou. 

Tínhamos de fazer mais se queríamos ganhar e fizemos. Na segunda parte houve dinâmica por dentro, houve maior mobilidade e mais gente a querer ter bola, houve jogo interior e exterior. Apesar de haver pouco espaço para atacar a profundidade, conseguimos movimentos muito interessantes entre os centrais adversários. Criámos seis ou sete oportunidades para marcar.

Há três lances muito duvidosos. Quer dizer, para mim não há dúvidas: são penáltis. Estamos num momento importante e as equipas têm de estar ao melhor nível para que o campeonato seja decidido dentro das quatro linhas. 

Pressão? É a que é. A minha resposta diz tudo. Se queremos estar num clube como o FC Porto, temos de ter noção dessa pressão. Mesmo que o nosso rival tivesse ganho ontem, tínhamos a pressão de ganhar hoje e de continuar a acreditar. O rival está em vantagem, temos de fazer o nosso trabalho. O que sinto e o que os jogadores sentem é que são pressionados diariamente para darem o máximo.»

 

Vítor Maia / Estádio do Dragão, Porto