Na conferência de imprensa de antevisão a mais um clássico, agora diante do Sporting para as meias-finais da Taça da Liga, Sérgio Conceição voltou a ser questionado a respeito do que aconteceu no duelo da passada sexta-feira com o Benfica e após o qual o treinador do FC Porto e Jorge Jesus discordaram nas análises.

«O que vi no ambiente do rival depois de empatar e continuar atrás de nós foi o ambiente de ganhar uma Champions: ou melhor, de passar uma pré-eliminatória de uma Champions», afirmou.

Recorde-se que logo a seguir ao clássico no Estádio do Dragão, Sérgio Conceição considerou que o Benfica tinha saído feliz do jogo, enquanto Jesus disse que os encarnados tinha perdido dois pontos.

Na antevisão ao duelo com os leões, Sérgio Conceição identificou por uma vez a «agressividade extrema» dos adversários do FC Porto como um dos vários fatores adversos aos azuis e brancos, tal como a covid-19 ou o estado dos relvados.

Mais à frente, o técnico foi confrontado com a possibilidade de estar a referir-se concretamente à postura adotada pelo Benfica no clássico. Sem responder, deixou no entanto uma observação sobre como deve ser o trabalho de João Pinheiro quando a bola começar a rolar esta terça-feira em Leiria a partir das 19h45. «O árbitro não pode olhar para o momento do jogo e a decisão que tomar pesar mais ou menos pelo minuto», disse, referindo que um penálti ou um cartão amarelo não devem deixar de ser sancionados pelo facto de o jogo estar ainda nua fase inicial.

(artigo em atualização)

Vítor Hugo Alvarenga / Olival, Vila Nova de Gaia