José Sócrates foi ilibado de todos os crimes de corrupção no âmbito do processo Operação Marquês: tanto nos casos do Grupo Lena, como do Grupo Espírito Santo/PT, como ainda de Vale do Lobo. Só no caso dos empréstimos de Carlos Santos Silva a Sócrates o juiz Ivo Rosa admitiu a existência de corrupção, mas afirmou que o crime prescreveu.