Sobe a contestação depois da reeleição de Alexander Lukashenko, presidente da Bielorrússia que está no cargo desde 1994. Desta vez, as ruas da capital Minsk encheram-se com cerca de 200 mil pessoas e com um pedido unânime: "Demite-te".