A General Pereira d'Eça foi afundada ao largo do Porto Santo, numa área de reserva natural integral, pelo que foi completamente limpa e descontaminada para não afetar a vida marinha. Por outro lado, foram usados explosivos de corte, que não provocam ondas de choque e, como tal, não prejudicam a fauna e flora.