As recentes referências de Donald Trump aos gangues que colocam a América Central no topo do “ranking” mundial de homicídios, como estando infiltrados na grande caravana que chegou à cidade mexicana de Tijuana, na fronteira com os EUA, causaram enorme polémica em todo o mundo, sabendo-se que esses grupos surgiram nos EUA na década de 1980 e espalharam-se pelo continente, travando uma disputa feroz e sanguinária