Bruxelas suspeita de práticas anti-concorrenciais envolvendo cinco editores, com presumível ajuda da empresa