Sob o lema “É hora de avançar, a propina tem de acabar”, a concentração fez parte de um protesto nacional que ocorreu em Lisboa, Porto, Évora, Braga, Caldas da Rainha, Faro, Covilhã e Coimbra