Manifestantes pedem ao Governo português que se junte “a outras vozes” que não reconhecem a legitimidade de Michel Temer como presidente do Brasil