Estabelecimento de ensino degradado e sem condições, com obras previstas paradas, levou mais de 300 alunos e professores a saírem à rua, concentrando-se em frente à Assembleia da República