Os centros de detenção de migrantes no sul dos Estados Unidos estão a tornar-se em verdadeiras “bombas-relógio”, com ocupações excessivas, pessoas amontoadas e em períodos longos, constituindo riscos para a saúde e bem-estar dos próprios migrantes, com dos que os rodeiam.