Ataque foi reivindicado pelos talibãs afegãos, que tentam derrubar o governo apoiado pelo Ocidente