Salah Abdeslam, o único suspeito vivo dos atentados de novembro de 2015, em Paris, começou a ser julgado na Bélgica