Sobreviventes do tiroteio que ocorreu a 14 de fevereiro na escola Marjory Stoneman Douglas, em Parkland, lideraram este sábado a manifestação “March For Our Lives”, por um maior controlo de armas nos EUA. Uma marcha que juntou centenas de milhares em Washington, mas com impacto em muitas outras cidades norte-americanas e à volta do mundo