Em 1991, o presidente dos Estados Unidos, George H.W. Bush, nomeou Clarence Thomas, um juiz negro, para o Supremo Tribunal. Mas antes de ter sido confirmado pelo Congresso, o juiz foi acusado de assédio sexual por uma advogada e professora de Direito chamada Anita Hill. Hill foi ouvida pela Comissão de Justiça do Senado, na altura presidida por Joe Biden. A audiência ficou marcada pela forma agressiva como os senadores questionaram a advogada. A sessão, realizada por um painel formado só por homens brancos, transformou-se no paradigma de interrogatório machista e de culpabilização da suposta vítima nos Estados Unidos.