Milhares de manifestantes voltaram às ruas de Jerusalém, pelo oitavo sábado consecutivo, para pedir a demissão do primeiro-ministro israelita, Benjamín Netanyahu, julgado por alegada corrupção e criticado pela gestão da pandemia covid-19 no país.